Sobre o Coaching do Riso

O Coaching do Riso by Judite Resende & laranja Desenvolvimento Pessoal já tem uma longa história!

O nome é simultaneamente um método específico de desenvolver o riso através da risoterapia, mas também o nome do projecto com que me lancei em formato autónomo, como facilitadora de desenvolvimento pessoal, no inicio de 2014.

De Março de 2016 a Abril de 2020 (4 anos fantásticos) o Coaching do Riso enquanto projecto ficou absorvido pela gestão e por todas as actividades da Laranja – Desenvolvimento Pessoal.

Mas a vida acontece, os cenários mudam, e com eles os projectos e as empresas também.

Hoje a Laranja – Desenvolvimento Pessoal é, cada vez mais, uma entidade orientada para a felicidade e bem estar no trabalho e nas empresas.

Hoje a Laranja – Desenvolvimento Pessoal está mais crescida, com uma equipa cada vez maior, e com um foco no crescimento num mercado diferente à génese do Coaching do Riso.

E é assim que, em Maio de 2020, recupera-se a si mesmo, como movimento e projecto independente, pelo menos o quanto baste, para fazer o seu propósito.

Com um foco no desenvolvimento pessoal e espiritual, este é um local onde tudo começa e converge no riso, para o riso, e no resgate deste poder fantástico que o riso nos promove: a alegria.

Desde 2009 que formo e oriento pessoas e profissionais.
Na altura, integrado nas funções profissionais de gestão de equipas, que ocupava na altura, formava e orientava profissionais para o melhor atendimento e relacionamento com o cliente.

Com uma perspectiva de trabalhar como formadora na minha área de formação académica. No final de 2010, decidi formalizar a minha formação como formadora.
Na verdade o propósito que me levou a esse investimento, ficou de lado durante largos anos. Mas esta formação mudou realmente algo na minha vida.

Logo de seguida, em Março de 2011, fui desafiada pela minha entidade profissional para iniciar uma equipa de formação e desenvolvimento de competências de gestão local, no projecto onde estava inserida, que abrangia a formação contínua e permanente de cerca de 500 colaboradores.

Foi uma grande escola. Em meses sabia de cabeça as características individuais de personalidade, o histórico profissional, a estrutura hierárquica e evolução de competências, e até muitas coisas da vida pessoal, sonhos e preocupações específicas de cada um deles.

Esta apetência para a personalização e para encontrar o melhor das pessoas, de poder contribuir para que cada uma delas se envolvesse melhor no seu trabalho, que as condições do ambiente de trabalho fossem uma continuidade do bem estar e da vida.

Em 2013 novo desafio, no trabalho e na vida. Nunca tinha pensado em trabalhar na área de recursos humanos, e estava longe de qualquer plano fazê-lo. E agora iria coordenar um departamento onde o desenvolvimento, a motivação e o bem estar das pessoas iria estar em primeiro lugar.

Estas duas mudanças foram o inicio de uma grande, nova e fantástica aventura. O inicio de tudo, como costumo dizer.

Foi o meu trabalho com a formação em meio corporativo e os recursos humanos que me auxiliaram e alavancaram ao momento em que me encontro hoje. Foi um meio para encontrar o meu propósito. E com essa gratidão, hoje estou “do outro lado”, mas com o mesmo propósito: facilitar a felicidade pessoal e profissional.

Qualquer coisa entre o final de 2011 e o inicio de 2012 tinha em mãos dar competências e ferramentas para a gestão de stress.

Irónico. Eu, altamente stressada, a ser tratada para ansiedade, altamente medicada, e com pouco ou nenhum controlo sobre ela.

Viver no pânico do “depois” era o meu dia a dia. Sempre a pensar no a seguir. Se no trabalho era “uma máquina” de resultados, na vida pessoal perdia horas a projectar, a planear, a fazer contas, a investigar e pesquisar. Muitos planos, pouca prática, muito sofrimento.

Numa das turmas de formação tinha o colaborador mais cético sentado de frente para mim. Fisicamente era a personalização do Brutus. Voz grossa. Sempre derrorista.

Chega aquele momento do programa em que faço as recomendações dos hábitos e ferramentas para gerir o stress no dia a dia. Entre elas “rir mais”.

Aqueles olhos esbugalharam-se. O corpo pesado que derrotava a cadeira, chega-se para a frente. Cotovelos em cima da mesa.

«Isso para ti é muito fácil, que andas sempre aí a rir. Mas eu. Como é que faço?» – a pergunta caiu que nem uma bomba. Não tinha uma resposta. Não conhecia ninguém que a soubesse.

Sorri, e disse que ia descobrir.

E assim foi.

Foi desta forma que fiz uma pesquisa na internet. Que li as várias ligações que o motor de busca me apresentou.
Foi desta forma que o Yoga do Riso entrou na minha vida. Primeiro por tudo o que li e investiguei sobre ele.

E dois anos mais tarde, quando mudei para Lisboa, vivi-o na primeira pessoa.

Mudei-me para Lisboa em Janeiro de 2013.

Foi uma correria, pois a proposta de trabalho que me trouxe até cá aconteceu mesmo antes do Natal.

O inicio foi procurar casa, fazer a mudança de Évora para Lisboa, que só aconteceu quase 2 meses depois, assentar, adaptar a novas rotinas.

Em simultâneo uma nova função, e o desafio de escalar para uma dimensão de colaboradores muito maiores, em áreas profissionais e competências novas para mim.

Até ao verão foi uma azáfama. Mas depois, inscrevi-me, finalmente, no curso de certificação que mudou a minha vida.

Em Dezembro de 2013, saí do curso com o certificado de Líder de Yoga do Riso, com a intenção de ter uma nova competência para as formações de gestão de stress.

Na verdade, curiosamente, durante os dois anos seguintes não voltei a ter alguma formação sobre o tema.

Por outro lado, semanas depois do curso, no inicio de Fevereiro, um fim de semana chuvoso, e um conflito conjugal, fez-me repensar o riso na minha vida.

Observei que apesar de ter riso fácil, quando punha em prática os exercícios que tinha aprendido, realmente haviam mudanças.

Logo criei o nome – o Coaching do Riso – que surgiu porque já estava a preparar também o meu percurso no coaching.
E porque me fazia sentido levar muito de todos os conhecimentos que trazia da gestão e capacitação de pessoas.

Arranquei com projecto a andar, e poucos meses depois facilitei o meu primeiro workshop de assinatura.

Pelo caminho tive o empoderamento da minha turma da certificação, e um projecto conjunto, onde saíamos para rua, e improvisávamos sessões com desconhecidos. Estes momentos foram mágicos, libertadores, transformadores.

Toda esta trasformação fez-se sentir na minha vida.

Todos os sonhos de ser empreendedora, ter os meus negócios, de pôr em prática a minha vida, de lutar pelo que acredito, de me libertar do que me fazia mal. Mas acima de tudo… de passar a viver no presente.

Nesse ano mudaram muitas coisas, que eram um peso na minha vida, e que me faziam infeliz:

  • Abri a minha primeira empresa
  • Repensei o meu estilo de vida
  • Passei a viver com mais coragem
  • Passei a priorizar-me
  • Passei a dar valor ao que mais importava e a deixar ir o que não mais interessava
  • Deixei de tomar qualquer medicação para ansiedade, situação que mantenho até hoje (retirada com indicação médica)

Mas não ficou por aí, porque o ano seguinte continuou a dar frutos:

  • Sai de uma relação longa e desgastante
  • Consequentemente vendi as minhas cotas da minha primeira empresa
  • Comecei a frequentar e expor em eventos de networking
  • Abri mais 2 empresas
  • Abdiquei da responsabilidade funcional na empresa que trabalhava em troca de voltar a dar formação
  • Descobri que estar com e para as pessoas é a minha força motriz

No inicio de 2016 tinha bem claro para mim um reflexão que não é minha, mas que a senti na pele, em cada pedacinho:

Somos felizes porque rimos,
Não rimos porque somos felizes

Na altura sabia, hoje sei, que a minha vida e o riso estão ligados.

Até hoje, seis anos de profissão com o riso, quatro anos depois e todas aquelas mudanças, esta frase faz sentido, todos os dias. E por isso, cada vez mais, faz-me sentido que o Coaching do Riso esteja aqui, para quem quiser alguma melhoria que seja na sua vida.

E eu, de alma e missão, quero contribuir para isso: para que o riso faça parte de todas as vidas!

Entretanto muitas coisas aconteceram, um longo caminho foi trilhado. Muitas pessoas, muitos projectos.

Desde as aulas de yoga do riso e o desenvolvimento dos programas de coaching do riso, veio as sessões para empresas, a risoterapia para casais e famílias.

Desde 2015 que tenho a alegria de estar na equipa organizadora da Congresso Rir É Saúde, onde se tem feito muito por esta prática fantástica e com tantos benefícios que nos dá o riso.

Em 2017 iniciei uma comunidade de risonhos online, e comecei a partilhar através de diretos e videos gravados muito sobre o yoga do riso, e a risoterapia em geral.

O retorno deste trabalho veio no ínicio de 2019, com a nomeação de Laughter Ambassador (embaixadora do riso).

E neste mesmo ano concretizo algo que já era desejado faz algum tempo: ser Professora de Yoga do Riso, que me permite formar novos Líderes do Riso, e com isso levar a mensagem muito, mas muito mais além.

Actualmente tenho vários programas e comunidades online, para que, independentemente de onde estejas, possas aprender, desenvolver e crescer mais com o riso.

No inicio de 2015, tinha o Coaching do Riso um ano, recebi um telefonema de uma colega de certificação. Desafiou-me para que juntássemos energias para levarmos o riso mais além, e que juntas pudéssemos dar resposta a uma necessidade emergente: o riso nas empresas.

Ambas trabalhávamos a full time noutros locais, e logo percebemos que não poderiamos ser backup uma da outra. Um mês depois estendemos o convite a uma terceira pessoa.

Assim nasce a Laranja – Yoga do Riso.

Por questões profissionais e familiares, esta associação durou pouco tempo. Mas em 2016, quando fiquei “sozinha” com a Laranja, já tinha uma estrutura definida, uma imagem, um plano de negócios. Mudei o nome para Laranja – Desenvolvimento Pessoal, avancei com o registo da marca na minha empresa. Absorvi o projecto do Coaching do Riso. E continuei o propósito da Laranja: levar o riso mais longe, e ajudar pessoas a redescobrir o seu potencial de riso.

Na altura, sendo apenas eu, os dois projectos convergiam. Fez-me muito sentido esta assimilação.

Curiosamente nunca abandonei o domínio e o email do coaching do riso. Sempre os continuei a usar. E muitas vezes pensei em cancelá-los. Mas o meu coração dizia-me que fazia parte de tudo isto, e que se deveria manter.

Hoje percebo que o Coaching do Riso sempre cá esteve. Porque é o meu projecto como profisisonal e missionária no riso.

A Laranja (independente do sufixo) nasceu para ter mais vozes, e foi dessa forma que evoluiu.

Hoje a Laranja – Desenvolvimento Pessoal leva Felicidade e Bem Estar às empresas, sob formas diversas, com um painel de parceiros de confiança, que colaboram neste propósito.

É uma voz colectiva, na qual eu dou a cara e a gestão.
É um lugar de pessoas para pessoas, com toda a diversidade, com que hoje operamos.

E o riso… esse sou eu.
Que embora seja também um dos serviços promovidos dentro da oferta da Laranja, tem uma assinatura própria.
E que agora volta a ter o nome Coaching do Riso, a personalização da Judite Resende e a promoção da Laranja – Desenvolvimento Pessoal.

Esta é a história…
Este é o propósito: pessoas que riem na vida, e que levam o riso para o dia a dia pessoal e profissional.


Este é o Coaching do Riso by Judite Resende & Laranja – Desenvolvimento Pessoal!

Voltar ao topo